Sobre o amor em silêncio

Ela tem um medo assombroso de mim, do quanto posso feri-la. Eu tenho um medo danado dela, porque é bem capaz de viver sem mim. A linda cretina nunca disse que não vive sem mim, acredita? Nunca, nem dormindo…

O amor dela é tranquilo, imutável, o meu é para agora, renovável. Ai se ela não demonstra apego numa tarde, mergulho em surto. Ela não depende de jura e declarações, está bem assim, cercada de um silêncio atento, sabendo que a amo. Quando preciso dela, ela supõe que é drama e mais uma artimanha para ser o centro dos acontecimentos. Quando ela precisa de mim, eu deduzo que ela procura se afastar e perdeu o interesse. Já brigamos no carro, no elevador, no shopping, acordamos vizinhos, assustamos os donos e seus cães na rua e insistimos e nos perdoamos porque somos tão apaixonados.
(...) Muito mais do que poderia conservar numa vida. Muito mais do que possuo condições de antecipar pela minha ansiedade.
A esperança pode vencer a experiência. A esperança é uma experiência.
Fabrício Carpinejar
...

Eu já nem sei ao certo quanto tempo faz. Mas há coisas que são atemporais. Teu abraço que me prende toda, teu riso ao meu lado em frente à TV, nossa música tocando no rádio, a madrugada em que não te deixei beber, o jeito que te cuidei esses anos todos, mesmo quando estávamos longe. Eu sei, sei que você pensa que tudo dentro de mim mudou, e que depois daqueles beijos só restou amizade. Não restou nada. O que acontece é que teus beijos e carinhos brotaram um amor incondicional em mim, como achei que jamais conseguiria sentir, quando achei que não sentia mais nada por ti. Sei também que alguns sentimentos são feitos não para serem vividos, mas apenas sentidos, calados, quietos. Te amo mesmo no silêncio. Te amo ao esticar a segunda letra de teu nome, quando te escrevo, te amo esquecendo você cada dia um pouquinho, e isso há anos. Namorei alguém tentando te esquecer, esqueci quem eu era com a distância entre nós dois. Te amei sem saber, e me pergunto se isso é possível. Amar e não morrer de saudade. Amar e não morrer de vontade. Amar e seguir vivendo como se não fosse nada. Como se não fosse para hoje a necessidade que tenho do teu braço, do teu riso, do teu amor. Como se a vida não pudesse acabar amanhã. Como se o amor também não pudesse morrer.


Luana Gabriela

PS:
Andei assoprando feridas aqui - Vento com Som de Riso
Matei a fome aqui - 500g de Cultura

11 marginálias:

  1. ...

    Da primeira letra ao ponto final, perfeito!

    Me roubou as palavras, como sempre.

    Beijo em ti Lua!

    ResponderExcluir
  2. Lindas as palavras do Carpinejar.
    Lindas as suas palavras.

    Poesia.

    ResponderExcluir
  3. Adoro layout preto, mas gosto de variar.

    Cuidado com tatto´s, elas viciam! rs

    As da foto lembram uma que tenho no pulso...

    Beijo!

    ResponderExcluir
  4. Emoção. É isso que estou sentindo. Muito bom!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  5. Especialmente lindo isso tudo que escreveu hoje.
    É um encaixe perfeitinho, parece que você escreve por mim. '-'
    Sucesso moça, muito sucesso. (:

    ResponderExcluir
  6. Luana, seu blog é lindo e esse texto, embora triste, é maravilhoso!

    Dizem que o amor não é tão amor se não nos faz sofrer! Concordo! Mas também torço para que ele esteja ao alcance de suas mãos. Penso que todos nós merecemos viver um desses, bem grandes, bem intensos!

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  7. lindo texto!!!
    acho que compreendo bem todos estes sentimentos. acredito ser possível
    "Amar e seguir vivendo como se não fosse nada. Como se não fosse para hoje a necessidade que tenho do teu braço, do teu riso, do teu amor. Como se a vida não pudesse acabar amanhã. Como se o amor também não pudesse morrer". O que me pergunto e não encontro resposta é porque fazemos isso?
    ah! se fosse coerente com os meus pensamentos!!!

    ResponderExcluir
  8. Eu já compartilhei do desespero do texto do Fabrício, e, agora, vivo o outro lado, o da "linda cretina", que se sente tão confortável no silêncio que, por vezes, até as palavras doces parecem descabidas.

    Definitivamente, me encontrei.

    Excelente reflexão, moça.

    Beijo, beijo.

    ℓυηα

    ResponderExcluir
  9. Fica uma semente. Sempre.
    Algo que irradia lá dentro de nós fazendo brotar só coisa boa. O amor não rende só dores, mas frutos. Muito mais, aliás.

    Sofrer, desejar, ter saudade, amar, sorrir, se afligir, ansiar, viver...

    Amor abraça tudo. Tudo abraça o amor. Sentimentos que se completam. Em suas definições tratam de nos acolher. Na angústia um alento, no choro um alívio, na dor uma lição, no sorriso uma esperança. No brilho de um olhar, persistência.

    É no coração, o brilho do amor. Coisas que não podemos citar. Nem todas as palavras. Nem mesmo cantar. Apenas fechamos os olhos, tapamos os ouvidos e fechamos a boca.

    O amor ama muito mais quando em silêncio. Ele fala mais quando calado. Escuta muito mais quando surdo. E vê muito mais quando cego.

    Talvez nunca entenderemos de fato as razões de tudo. Nem a razão de ter essas razões. Só fica aquela semente brilhando lá dentro, nos dizendo que amar é sempre a melhor escolha.

    O sol nasce todo dia. E é essa breve lição que o amor nos deixa a cada segundo...

    =)

    Beijo Lua.
    Se cuida.

    ResponderExcluir

Faltou açúcar? Quer um verso de creme?

<< >>