O amor existe

Eu te amo, muito, pra caralho. Eu te amo como não amei ninguém na vida. Como nunca achei que poderia amar e isso que você chegou quando eu achei que estava amando alguém, quando eu estava numa relação que na verdade nem era mesmo uma relação, mas pelo menos eu estava tentando. Aí você chegou e foi ocupando os espaços que ele ia deixando. 

Se ele não ligava, você ligava. Se ele não sabia lidar com minha ansiedade, com minha depressão, com minha vontade latente de simplesmente deixar o mundo, você sabia. Eu  lancei sobre você todas as minhas dores e você me ajudou a cuidar delas. Se ele se drogava pra lidar com a vida, você fez com que eu parasse de agir igual. Se ele me deixava de lado, você me puxava pela cintura e me deixava do seu. Se ele aparecia só pra transar, você chegava aqui em casa com pizza, refri e muito colo pra me dar. Enquanto ele falava sobre coisas que gostaria de viver comigo você vivia. Você chegou numa sexta à noite quando eu estava descabelada e de pijama. O porteiro interfonou e fiquei confusa, mas deixei você subir e aceitou assistir Friends, começando pela sexta temporada. 

Você  foi tudo que ele não foi. O mais incrível é que você ficou. Você não teve medo, você assumiu o que sentia, me assumiu, a gente é a gente. Você não me cobrou que eu decidisse o que a gente ia ser, você simplesmente disse que a gente é. "Essa é minha namorada". Você não falou que me ama, você me mostrou isso cada dia. Você não fez jogo de desinteresse. Você jogou na mesa o interesse explícito, acompanhado de chocolate e flores (e eu que odeio clichês fiquei encantada porque você trouxe suculentas e chocolate branco, sendo clichê, mas pensando nos meus gostos). Você conheceu o meu pior, mesmo, e você ficou. Você chorou comigo, você entendeu meus limites, você não mentiu. 

Eu quis terminar, porque eu insisto em partir, (você sabe só nesse ano já terminei três relacionamentos) eu tento relações abertas, e eu termino mesmo assim, porque essa não sou eu.  A grande verdade é que essa não sou eu. E você sabe. E você sempre soube. E você esteve aqui quando eu gritei de raiva de cada um deles, e quando eu chorei me culpando por ter acreditado de novo, e todos os anos em que eu disse que não acreditava no amor.  

Se você não estivesse chegando daqui a pouco com uma mala com roupas suas, uns livros e cds, pra "passar uns tempos aqui em casa" eu realmente não acreditaria que você existe. 

Mas a verdade é que:

Você existe. 
A gente existe. 
O amor existe. 

0 marginálias:

Postar um comentário

Faltou açúcar? Quer um verso de creme?

>>