[ permita - me ser brega ]

Eu me controlo tanto pra evitar qualquer dor, que acabo evitando também o amor. Às vezes eu me contenho tanto diante de algumas circunstâncias pra não mostrar entusiasmo que deixo a magia dos momentos meio congelada dentro de mim . Mas hoje eu vou esquecer todo o passado de dor e me permitir ser brega. Permitam-me! “Te abraço e sinto coisas que eu não sei dizer
Só sinto com você...” “O que eu puder, eu vou fazer pra não te machucar (...) Sou Transparente Desajeitado De todo o jeito, me ajeitando do teu lado Pra me esconder ou me espalhar, com todo o cuidado Eu nunca estive tão ... ” Sintomas: Falta de concentração no trabalho Insônia Falta de apetite Ansiedade Aceleração dos batimentos cardíacos Pernas trêmulas Desinteresse de algumas atividades antes tidas como importantes Isolamento social seletivo Isso quer dizer alguma coisa? Hahahahaha ;) Bom final de Semana!

- eu queria tanto te dizer das coisas que eu sinto -

" Não quero que nada de grande entre nós termine desaparecendo, porque não sabemos o que pode acontecer depois disso."
" Quando duas pessoas se encontram, elas devem ser como dois lírios aquáticos que se abrem lado a lado, cada uma mostrando seu coração dourado, e refletindo o lago, as nuves, e os céus. Não consigo entender porque um encontro sempre gera o oposto disto: corações fechados e medo de sofrimento."
Kahlil Gibran

- tudo pode acontecer, inclusive nada -

Me escreveste: "não consigo viver a minha vida, estou muito assustada". Não te acostumaste com os sustos da vida. A alegria parte de um susto. Me escreveste como uma criança que sacrifica algo que nem começou. Pensa que tua história está terminando, um livro que se enrola no marcador de página. Pensa que não haverá amor em tua volta, que andarás como um fantasma disciplinado a não chamar a atenção. Imaginamos sempre o mais difícil porque não reagimos com simpatia ao fácil. Não queres o fácil. Queres o simples. Queres conversar sem ser cobrada, avaliada, classificada. Queres um pouco mais de compreensão e menos isolamento. Eu te entendo, mas não te alivio. Estás tão acostumada a mergulhar em teu sofrimento, que perdeste o lugar de onde dói. Talvez o que dói está fora de ti e não reparaste. Estuda menos tuas dores. O vento nasce espora. Meu avô, como eu, também sofria de asma. Um dia ele me disse: "na falta de ar, toda fresta é janela". Que use agora as frestas para respirar. Depois procure a trava do vidro, em seguida, o trinco da porta, e, por último, a cintura do corpo. Envaideça a pele com seda, a inundação da seda. Tuas roupas cheiram a maçãs. Ultrapassa o vaivém da invisibilidade em tua casa. Não caía na armadilha da pena ou da autopiedade. Não procures motivos para te explicar. Não te sintas menor pela timidez ou por não entender o que sentes. Deixa o dia passar por ti como um estranho, porém não sejas uma estranha a passar pelos dias. A pedra é escura por fora, mas clara por dentro. Encha a boca com teu gosto, como quem beija a própria boca. O vento já nasce espera. O rio da voz sobe bem mais do que o permitido pela altura dos ouvidos. Viver é um medo alegre. Não viver é covardia. Estendo meu casaco na grama para sentares. Fabrício Carpinejar

[ é possível????? ]

Ela - Você não me ama mais, é isso?
Ele - Tá vendo, esse é o problema com o amor, ou ele vira cobrança e ninguém tem mais paz, ou então ele vira rotina e as pessoas morrem de tédio. Ela- Se você quer amar alguém por muito tempo tem que aprender a gostar da rotina. Ele- Eu prefiro a aventura à rotina Ela- Eu prefiro os dois. (...) Ela- Mas você nunca pensa em ter um amor recíproco feliz? Ele - O tempo todo. E é sempre com você! Diálogo do filme: Romance

[ ... ]

Por favor, não me analise Não fique procurando cada ponto fraco meu Se ninguém resiste a uma análise profunda, quanto mais eu! Ciumenta, exigente, insegura, carente toda cheia de marcas que a vida deixou: Veja em cada exigência um grito de carência, um pedido de amor! Amor, amor é síntese, uma integração de dados: não há que tirar nem pôr. Não me corte em fatias, (ninguém abraça um pedaço), me envolva todo em seus braços E eu serei perfeita, amor!
Mario Quintana Do livro "Bom dia amor!", 1990 "No final das contas, você vai achar não quem você estava procurando, mas quem estava procurando você"

[ outro que me fez chorar ]

" ... Lu, você não tem defeito nenhum .... Você só tem um problema, Só não se apaixonou por mim"

[ desabafo ]

Hoje eu quero escrever tudo que não consigo dizer Hoje eu quero cantar mesmo se minha voz desafinar Eu sei que eu não sou perfeita, Minha ansiedade e meus medos me atrapalham Eles assustam você? Quando alguém me pergunta porque não estamos juntos, Eu penso muito, mas nunca sei o que responder Se esse aperto que eu sinto longe de você Não é amor, não é medo de perder , então é o que? Eu sei que falo muito, mas é porque eu sinto muito Sinto muita vontade de você. Sinto medo de sofrer Sinto vontade de deixar pra lá, Hoje eu queria te abraçar, e te dizer Tudo que eu sempre quis Mas minhas memórias, não me permitem mais arriscar tanto Se acharem que eu escrevo muito, e acabo me expondo.. Eu guardo aqui dentro muito mais coisas pra dizer, E O que eu sinto não tem nome, Mas é seu. Luana Gabriela 20/08/2009

[ alguém me fez chorar ( mas foi de alegria) ]

"...Você é muito especial pra mim.
...
se eu tivesse você do meu lado todo dia,
eu jamais seria triste"
( sem palavras pra responder)

[ eu levo a sério, mas você disfarça ]

Metade do que sinto é medo e a outra metade é amor. Metade do meu sonho é meu e a outra metade é dele. Metade dos meus medos se resolveria com amor, seria fácil se eu não tivesse medo de amar. E enquanto choro, metade é da dor por desacreditar de tudo, a outra é por acreditar demais. Enquanto eu penso, metade me culpo de ter dado tanto espaço a ele, metade me questiono por ele não ocupar todo espaço que eu queria que ele ocupasse. Metade do que penso é em ir embora, metade é em ficar pra sempre aqui. Metade do que sinto agora é medo de sofrer de novo, a outra metade é medo de sofrer agora para não sofrer ainda mais, depois. Metade do que quero é ser feliz, a outra metade é fazer alguém feliz. Metade de mim é poesia e a outra metade é canção. Metade de mim diz que é melhor parar por aqui, e a outra diz que não, que o melhor pode estar por vir.
Luana Gabriela
18/08/2009
TRILHA: Djavan - Se

[ noite em claro, só pensando ]

Deixa tudo que eu não disse, mas você sabia Deixa o que você calou e eu tanto precisava Deixa o que era inexistente, mas eu pensei que havia (Oswaldo Montenegro)

[ tudo que eu queria dizer pra ele hoje ]

Você me faz bem
Quando chega perto
Com esse seu sorriso aberto
Muda o meu olhar
Meu jeito de falar
Junto de você fica tudo bem, tudo certo Sei, eu sei que vejo mais do que eu deveria
Mas é que eu sou mesmo assim
Sinto, eu sinto tanto a sua falta todo dia
Volta e traz você pra mim
Quem mandou você passar pelo meu caminho?
Quantas vezes eu vou ter que repetir
Quantas vezes ?
Trilha: Luiza Possi

[ Eu ]

Eu sou um misto de insegurança e independência. Uma mistura inexplicável de desilusão e esperança. Sou um pouco de tudo e amor ao extremo. Eu choro de raiva e dou risada quando estou nervosa. Eu ouço rock quando estou sofrendo de amor e MPB quando estou feliz. Eu... eu nem sei direto quem sou, nem quem quero ser. Eu quero um pouco de rotina e um pouco de aventura. Eu sou pura confusão, eu sempre fui mais paixão. Uma coisa intensa que dura pouco, e que se lembra pra sempre. Eu que sempre quis ser amor, constante no riso, inconstante na dor. Eu que desaprendi a ser eu pra ser quem queriam que eu fosse. Até me perder nessa história toda e entender que eu sempre serei outro alguém diferente do que querem que eu seja. Eu que não sou delicada demais, nem forte demais, eu que falo alto, que brigo. Eu que cuido, que me preocupo, que ligo. Eu que sempre choro. Que me perco nas letras, nos meus acordes inventados, nos versos não rimados de um texto qualquer. Eu que sou exatamente tudo que você quer, mas não sou quem você ama. E isso não é novidade pra mim.Eu que não sou nem muito inteligente, nem muito bonita, um pouco dos dois, essa sou eu. Eu que não me destaco nem pela voz, nem pelo corpo, nem pelo olhar, nem pelo toque. Eu que não me destaco. Eu que me escondo atrás de um livro, de um violão, entre uma estante e um amplificador. Eu que já nem sei quem sou. Eu mudei de estilo, eu mudei de amor. Eu mudei o que penso, o que sinto..mas nunca mudei quem realmente sou. Eu sou um misto do melhor da vida, do mais triste, do mais alegre. Eu que prefiro as notas graves, mas me apaixono ao som de um acorde agudo. Que sou capaz de repetir exaustivamente um acorde para logo depois esquecê-lo. Eu que sou um pouco de memória eterna e esquecimento contínuo. Sou um pouco de fé e um pouco de dúvida. Que não sei dizer não, nem sei decidir. Que sou a pessoa mais indecisa e decida, ao mesmo tempo, que eu conheço. Sou um pouco de medo e outro tanto de coragem. Minha coragem vem do meu medo de nunca ser feliz. Mas e você, o que vê quando me vê? Quem eu sou para você? Eu quero tanto saber. Luana Gabriela 14/08/2009 Trilha: Little Joy

[ não me serve a roupa de super -herói - ]

De longe na paisagem tudo é tão perfeito
Tudo é tão normal
De perto toda coisa linda mostra algum defeito
E eu me sinto igual
Trilha do dia:
The Killers;
Lily Allen;
Norah Jones
e Luiza Possi

[ trust in me when i said ]

"Por medo de perder ele vai acabar não me ganhando"
LG

[ there's nothing else to compare ]

video

- i hate -

video

Odeio o modo como fala comigo

E como corta o cabelo

Odeio como dirigi o meu carro

E odeio seu desmazelo

Odeio suas enormes botas de combate

E como consegue ler minha mente

Eu odeio tanto isso em você

Que até me sinto doente

Odeio como está sempre certo

E odeio quando você mente

Odeio quando me faz rir muito

Mais quando me faz chorar...

Odeio quando não está por perto

E o fato de não me ligar

Mas eu odeio principalmente

Não conseguir te odiar

Nem um pouco

Nem mesmo por um segundo

Nem mesmo só por te odiar"

[ se ao menos eu pudesse tentar ]

[ verdades que tanto guarei ]

"Algumas vezes eu fiz muito mal para pessoas que me amaram. Não é paranóia não. É verdade. Sou tão talvez neuroticamente individualista que, quando acontece de alguém parecer aos meus olhos uma ameaça a essa individualidade, fico imediatamente cheio de espinhos - e corto relacionamentos com a maior frieza, às vezes firo, sou agressivo e tal. É preciso acabar com esse medo de ser tocado lá no fundo. Ou é preciso que alguém me toque profundamente para acabar com isso."
(Caio Fernando Abreu)

[ procura-se um especialista em gramática ]

"Observamos nossa namorada e nos tranquilizamos com "bonita", "linda", "maravilhosa", "incrível", "fabulosa". Ela vai se tornando igual às outras. Não criamos gentilezas novas, não nos esforçamos para a homenagem. Não duvidamos do que sopramos para fora. Se ela derruba os livros no chão, apontaremos que ela é atrapalhada. Por que não dizer que ela transborda? Se ela esquece onde colocou a chave, lembraremos que nunca presta atenção. Por que não dizer que você é um portão da infância; é simples empurrar? Se ela acorda ranzinza, não condene. Por que não dizer que a ironia é a noite do humor? Por quê? Para quando ela estiver casando com outro, não lembrar mais da vírgula. A vírgula errada, que separou o sujeito do predicado. "
F.C.
Mesmo para quem entende muito de gramática às vezes escapa uma vírgua entre o sujeito e o complemento. E quem muito amou percebe que no fim há sempre uma vírgula entre os sujeitos e o verbo amar. Uma vírgula, uma pausa, que representa o medo. E quando o sujeito vai e tenta encontrar o verbo amar e seus derivados como entregar-se, doar-se, cuidar ( do outro), perder a concentração, e tantos mais .. percebe que é tarde. Perdeu-se o ritmo da frase, do relacionamento que às vezes nem começou. Até que vem alguém e inicia um novo parágrafo. A expectativa é sempre que este outro entenda mais de amor e de gramática. Que ele saiba usar as vírgulas no momento certo, por exemplo ao descrever nossas qualidades. Mas, especialmente que ele nunca crie obstáculos e pausas entre os sujeitos e o amor. Nunca.
L.G.

[ o melhor está por vir ]

Todo amor
Todo o meu apreço
Todo recomeço
Toda boa intenção
Toda idéia nova
Todas as noites que eu não dormi
Toda nova informação
Tantas saudades do que ainda não vivi
Vencer os contra-tempos
Passar mais tempo juntos
Consciência e paciência
Intensas modificações
A mais completa certeza
De que tudo vai dar certo

[ quais os motivos para se amar uma mulher? ]

Eu já parei para pensar por que a amo, mas lamento, não sei. Realmente não sei. Talvez seja pelas sobrancelhas que falam antes dos olhos. Ou pelo umbigo que inicia a mão. Ou pelo copo que você balança antes de beber, para convencer a água a partir? Tantos homens têm um motivo certo para amar, definido como um emprego, e você foi escolher logo um que nada tem a dizer. Será que é pelo amor aos filhos, excessivo, que sempre me inclui? Ou pela sua vontade de fazer mercado depois do almoço para gastar menos? Será que é pelo modo como canta, o modo como dança, com os braços acenando em linhas sinuosas como fumaça de chá? Será que é pelo toque em meu joelho enquanto dirijo? Pela sua respiração suspensa na penumbra? Ou pelas nossas saídas de madrugada para encontrar sorvete em botecos? Será que me apaixonei pelo seu texto e quis ser seu personagem? Ou pela sua pressa de avisar que chegou, apertando o interfone mesmo com as chaves? Ou quando diz que está com frio no cinema? Ou quando fica muda querendo voltar ou quando fica ruidosa querendo passear? Ou quando pede que eu fique em casa mordendo o lábio de cima? Ou quando me enfrenta com raiva e me diz todas as verdades sem ao menos pedir para sentar? Ou quando sopra os machucados, de quem herdou o costume de soprar machucados mesmo quando não existem? Será que é pelo sua predileção em comprar presentes, sempre dando mais do que recebendo? Ou pela tapeçaria no fundo de suas bolsas, com notas, moedas, chicletes, batons e brincos avulsos? Será que a amo por que me irrita a viver mais? Será que a amo por que não me deixa a sós comigo? Eu juro que não sei por que a amo. Todo dia você se acorda querendo ouvir, eu pressinto, debruçada em meus ombros à espera do sinal, do cartão, das flores, da segunda aliança que é um par de palavras. Mas não descobri e não finjo. Entenderá que faltam motivos, só que sobram motivos. E dificulta-me pensar que se ama por motivos. Ama-se por insinuações. Será que é pelo seu medo de sangue? Pela sua infância vesga? Pelos seus joelhos esfolados nos móveis? Pela seus amores frustrados? Pela sua letra arredondada nas vogais? Pela sua insatisfação com as roupas na hora de sair? Pela ânsia em atender o telefone com a esperança de que seja eu a dizer por que a amo? Eu não sei por que a amo. Não me fale. Quem sabe deixou de amar.
FABRÍCIO CARPINEJAR

[ a alegria está no coração ]

Sem explicação, ordem e motivo, me arde uma alegria, que não aceita ser felicidade, porque a felicidade é uma palavra muito longa e a alegria tem pressa. Não sei se é uma alegria herdada, uma alegria que esbarrou em mim e que me salvou de ter pensado demais para devolvê-la. Uma alegria que é muscular, como se o ar fosse uma guitarra encordoando o ar, e houvesse um amor me pedindo para falar baixo nos ouvidos ou uma criança me chamando pelo apelido que esqueci. Uma alegria sem dono, que poderia ser uma ovelha de água, uma orelha de mar, um poço com hálito de café, uma figueira entranhada de pedras, o barulho alaranjado do portão que denuncia a visita, a tosse do fogo, as ervas e suas cartas datilografadas sem acento. Uma alegria de deitar na grama e sentir que está molhada e não se importar com a roupa orvalhada e não se importar com a hora e com os modos, uma alegria que é inocência, mas sem culpa para acabá-la. Uma alegria que é descobrir os objetos no escuro. Uma alegria repentina, que me faz entortar o rosto para rir, que não me faz pôr a mão na boca com medo dos dentes, que me impede de me proteger. Uma alegria como um tapete que fica somente curtido no centro. Uma alegria de ficar com pena dos anjos e de suas asas pesadas como duas montanhas nas costas, suas asas como dois irmãos brigando em dia de chuva. Uma alegria de barca, que é empurrada ao seu início. Uma alegria de perceber que quanto mais gasto o tempo com os outros mais sobra para mim. Alegria de vida barata e da morte cara. Uma alegria sem saber para que serve, para onde vai, com as iniciais de xícara antiga. Uma alegria que não volta para a estante porque não saiu de nenhum livro lido. Uma alegria que se antecipa e faz sala ao quarto. E quase me faz acreditar que sou possível. Fabricio Carpinejar

[ Best friend with benefits ]

Ele sabe muito sobre mim. Sabe qual é minha bebida favorita, sabe qual é o meu hobby predileto, sabe qual é o meu tipo. Ele me conhece, sabe como sou estressada, ciumenta, ansiosa. Ele consegue neutralizar tudo isso. Ele me faz bem. Eu? Eu não sei quase nada sobre ele. Sei que ele tem um ótimo abraço, que me passa segurança, proteção. Sei que as horas que a gente passa conversando voam, e eu nem vejo. Sei que o olhar dele é "meigo", me traz paz, tranquilidade. Sei que ele não é perfeito. Numa conversa com uma amiga falando sobre as qualidades dele ela me perguntou: - Qual o defeito desse menino mesmo? Ao que eu respondi: - Acho que ele não gosta de mim! Luana Gabriela 31/07/2009 Trilha: Head Over Feet - Alanis Morissette

[ acho que tô vendo muito filme ultimamente ]

"Escolha bem
Procure achar
Se é que existe
Alguém que realmente te agüente
Capaz de realmente te amar Mesmo que não acredite
Em amor de verdade
Em beijo de filme
Tem que haver
Alguém nesse mundo
Que não te despreze
Que não te repulse
Pois mesmo que não acredite
Em conto de fada
Em beijo de filme
Tem que haver
Alguém que vá te amar
Alguém pra te aceitar"
Trilha: Moptop

[ sobre quando amei ]

Eu amei quando escrevia seu nome junto ao meu na parede da minha casa e contornava com um coração. Eu amei quando ouvi você dizer: A sua inteligência com a beleza dela formaria a mulher perfeita. Eu amei quando então bati a porta e te mandei ir embora. Eu amei quando te vi chorar por outra. Eu amei quando abri mão de ti porque minha melhor amiga também te amava. Eu amei ao dizer "não" a um pedido de namoro porque amava outro. E eu continuei amando quando disse o segundo não por causa do mesmo outro. Eu amei quando o busquei em outros braços, eu amei quando confessei isso. Eu amei quando não me declarei, por sermos então melhores amigos. Eu amei quando não o procurei. Eu amei quando calei o que queria dizer. Eu amei quando segurei as mãos dele por poucos segundos, escondido, e o meu coração acelerou. Eu amei quando eu disse que gostava, mas que passar muito tempo junto me enjoava. Eu amei quando ao acordar lembrava dele e chorava. Eu amei quando ao deitar, lembrava e chorava. Eu amei ao desejar a ele felicidade quando voltou com a namorada. Eu amei ao esperar um ano, ou mais, por um abraço, um beijo. Eu amei quando descobri que ambos queríamos mas que não ficaríamos juntos. Eu amei quando me abri pra ele, quando mesmo machucada eu permiti que ele permanecesse em minha vida. Eu amei quando briguei, quando corri atrás, quando pedi perdão. Eu amei ao me distanciar, eu amei quando disse que não sabia se gostava de verdade dele, pra ele. Eu amei tanto que não me canso de escrever. Eu amei tanto que nunca tive coragem de dizer. De todas as maneiras que se pode amar sozinha eu amei. Agora eu quero amar dizendo sim, andando de mãos dadas para todo mudo ver. Eu quero amar escrevendo abertamente sobre e pra você. Eu quero amar de todas as maneiras que se pode. Amar tocando o repertório que eu aguardo pra você, amar escrevendo bilhetes e espalhando pela casa. Amar com a insegurança de ser aprovada pelos seus amigos, pela sua família, amar sabendo que sou amada também. Meu desejo é poder amar com tudo que posso e do meu melhor jeito, alguém que realmente mereça isso. E por escrever também sobre quando pude viver o amor que eu senti, a dois. E sobre quando fui amada. Luana Gabriela 02/08/2009 Trilha: Marisa Monte - Eu queria que você viesse

- tá tudo assim -

Bem, como vai você? Levo assim calado de lá tudo que sonhei um dia como se a alegria recolhesse a mão pra não me alcançar Poderia até pensar que foi tudo sonho ... e vou passear sozinho como der ... - Tô precisando de um pouco de paz, tranquilidade, um braço disposto a acolher e não apontar. Um colo, um tempo, qualquer coisa que qualquer pessoa precisa... inclusive eu. LG
<< >>