Cause I understand, Do you?

Não entendo. Isso é tão vasto que ultrapassa qualquer entender. Entender é sempre limitado. Mas não entender pode não ter fronteiras. Sinto que sou muito mais completa quando não entendo. Não entender, do modo como falo, é um dom. Não entender, mas não como um simples de espírito. O bom é ser inteligente e não entender. É uma benção estranha, como ter loucura sem ser doida. É um desinteresse manso, é uma doçura de burrice. Só que de vez em quando vem a inquietação: quero entender um pouco. Não demais: mas pelo menos entender que não entendo.


Clarice Lispector

6 marginálias:

  1. É, não entender ultrapassa limites, entender encerra, chega ao fim. Adoro Lispector também.
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Eu ainda tenho uma incontrolável mania de entender.
    Mas só aquilo que não entendo...
    E o que não consigo... invento.

    Beijo doce LUA nova!

    ResponderExcluir
  3. Não entender o que se passa, ao menos fingir a confusão é a melhor saída na maioria das vezes, quando não queremos nos machucar...

    ResponderExcluir
  4. Gostei de cada pedacinho do seu blog e do post.
    Não entendo muito do que quero entender também...

    Abraços!

    ResponderExcluir
  5. AH Clarice do que eu também não entendo. Ter loucura e não ser doida, apenas feliz,

    ResponderExcluir

Faltou açúcar? Quer um verso de creme?

<< >>