Perdida e Salva

Cansada daqueles que só amavam o que ela oferecia de bom, e que dela só conheciam as coisas boas. Ela estava cansada. Ele chegou conhecendo também apenas o que ela permitia. Amando-a no entanto, foi descobrindo o que de ruim possuía, por dentro. Ser feio por dentro é pior que ser feio por fora, embora seja mais fácil esconder a feiura interna. Efeito placebo, tentar controlar os sentimentos. Ele é capaz de amá-la em seus piores momentos, quando ela sente as piores coisas e quando não se aguenta e fala o que não deveria falar. Ele a ama, não com a complacência de um pai displicente, mas com a rigidez de quem corrige para o bem. Ele a cuida não com dengos e mimos, embora ela precise disso às vezes e tenha sim suas necessidades saciadas, ele a cuida e a protege dela mesma. Do descontrole dos sentimentos, das ações, do medo, da pressa, do choro sem sentido, da tristeza criada, da felicidade desprotegida e fulgaz. Ele a salva dela mesma. Quem diria, logo ela que achou que seria a salvação dele.

Luana Gabriela
06/09/2010

5 marginálias:

  1. Lindo texto, adorei *-*'
    Seguindo :*'

    ResponderExcluir
  2. Oi, adorei seu blog. Estou até te seguindo. *-*
    Enfim, gostei tanto que estou lhe 'dedicando' dois selinhos no meu blog. Espero que goste. Beijos. :*
    http://queiimedepoisdeler.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Adoroooo o seu blog!
    Selinho pra você colega. Passa lá!
    beijos

    ResponderExcluir

Faltou açúcar? Quer um verso de creme?

<< >>