Meu coração vai se entregar à tempestade (Marcelo Camelo)

"... Eu me desnudo emocionalmente quando confesso minha carência – que estarei perdido sem você, que não sou necessariamente a pessoa independente que tentei aparentar ... Quando choro e lhe conto coisas que, confio, serão mantidas em segredo, coisas que me levarão à destruição, caso terceiros tomem conhecimento delas, quando vou a festas e não me entrego ao jogo da sedução porque reconheço que só você me interessa, estou me privando de uma ilusão há muito acalentada de invulnerabilidade. ...  Aprendi a aceitar o enorme risco de que, embora eu não seja uma pessoa atraente e confiante, embora você tenha a seu dispor um catálogo vasto de meus medos e fobias, você pode, mesmo assim, me amar..."
O movimento romântico" - Alain de Botton


Eu não consigo mais esconder, sequer tenho certeza de que um dia só, por alguns segundos eu consegui esconder de ti como sou, quem sou. Esse poço de dor, medo, esses amores tanto sufocados, esses gritos que nunca dei. Você chega à noite, depois de dar sua aula, me encontra no sofá com algum livro na mão, me beija apressadamente, e enquanto você vai tomar banho, relaxar eu preparo algo pra gente comer, um vinho tinto pra tomar, e eu espero que você saia, que me abrace ainda molhado, só pra me irritar.

Eu espero tanto de ti e mesmo assim é tão pouco. Eu espero aquele sorriso discreto, aquele olhar discreto, a voz alegre, o rosto apoiado na mesa, me vendo passar. Eu espero de ti, tudo que já tive e nada mais. Não precisa aparacer com flores, recitar poemas, nem precisa perguntar como foi meu dia. Eu só preciso que você exista pra eu me apaixonar por você de novo e mais um pouco a cada dia. Eu só preciso saber que mesmo quando não estamos juntos, aquela música faz com que lembre de mim, aquele verso que você explica aos seus alunos te faz lembrar de mim, eu só preciso saber que você se lembra de mim, pra eu nunca esquecer que sou sua.

Porque a cada dia estou me revelando mais, e você me abraça em crises de choro e você me beija como a maneira mais eficiente de me fazer calar a boca quando eu desesperada começo a falar coisas sem sentido pra você, e você me toma nos teus braços, alisa meus cabelos, segura minhas mãos e me pede calma. E nessa posição sinto melhor seu cheiro, um aroma calmante natural, que amolece meu corpo, e aí eu deito e em silêncio você seca minhas lágrimas. Eu sou assim, não foge, eu quase chego a sussurrar.

Me segura firme em tua vida, me acomoda em teu peito, eu sou essa coisa cheia de medo, angústias, perguntas, dores, mágoas. Mas eu também sou cheia de amor, paciência, me ajuda a ser mais como você, tão seguro, tão experiente, tão calmo, paciente e mesmo assim cheio de amor. Cuida de mim, como sua possibilidade de abrigo, me abriga quando tudo em mim é tempestade. E eu não me escondo mais, eu transbordo de mim. Me deixa desaguar em ti.

Luana Gabriela
06/04/2011

"Pra nós, todo o amor do mundo
Pra eles, o outro lado
Eu digo mal me quer
Ninguém escapa o peso de viver assim
Ser assim, eu não
Prefiro assim com você
Juntinho, sem caber de imaginar
Até o fim raiar"

Morena- Los Hermanos

5 marginálias:

  1. Extremamente, completamente LINDO!

    ResponderExcluir
  2. Renata disse:
    Ah...como isto é impressionante,vc se supera no romantismo bem contado a cada texto.
    Esse amor é tão lindo que chega a me doer tanto sentimento,tanto gesto de carinho.
    Parabéns pela emoção que vc transmite em cada frase.

    :)*

    ResponderExcluir
  3. Que coisa mais linda esse amor que você transporta com suas palavras.
    Belo texto.

    ResponderExcluir
  4. Oi, Luana!

    Passei para dizer olá e me encantei com as suas palavras. Parabéns pelo blog. bjs

    Cristiane Magnani

    ResponderExcluir
  5. Era tudo o que eu queria para mim, rs.

    ResponderExcluir

Faltou açúcar? Quer um verso de creme?

<< >>