Ao meu ex-namorado

Acabou. Exatamente como acaba a maioria das relações, silêncio pré-término, e muito barulho pós-término. Não sei quais foram suas razões pra dar fim ao que não deveria ter começado. Mas vá lá, eu não tenha dado tudo o que você queria. Só queria dizer que você também não me deu. Passei meses acreditando que deveria te dedicar toda a minha vida porque você me deixou habitar no teu mundo estranho. Te dediquei horas dos meus dias, recebendo minutos da sua semana. Te parece justo?

Te dar tudo que eu podia, para receber tão pouco, mas tudo o que você queria me dar, não podia me deixar satisfeita. Você sempre disse que eu queria mais e não nego. Queria mais de você, mais de nós dois, mais romance e menos piadas, eu sei é lindo um casal compartilhando bom-humor, mas faltava romance, cuidado. Ah, é. Você disse que cuidava de mim, quando eu estava com você. Quantas vezes num mês mesmo? Três? Ah, eu precisa mais, como eu sou injusta, não? Querer mais diálogo, mais carinho, mais atenção, você não sabia nem qual é meu chocolate favorito. Você sabia de mim o que te interessava. O nome, o telefone, quê mais? Ah sim! Que eu te amava, que mudei caminhos pra te ver, resisti medos pra te aceitar, fui cedendo tudo e um pouco mais, eu só queria te fazer feliz, cara.

Mas aí, não deu. Te fazer feliz estando triste, é pior que uma solidão sincera. Estar com alguém e mesmo assim me sentir só, não era o que eu queria. Quantas vezes guardei novidades porque você nunca perguntava como eu estava? Quanto tempo eu quis ouvir tua voz me desejando boa noite, mas sem ter coragem de ligar, invadiria teu espaço.

Acabou. Não é exatamente uma novidade. Eu sabia que esse dia chegaria. Só não pensei que fosse tão certo pra mim e pra você. Você colocou o ponto final, porque eu ia levando essa relação com reticências e exclamações, de dor. O silêncio ao teu lado nunca foi confortável, era aquele silêncio que espera a qualquer momento a palavra final. O Acabou.

Acabou, como acaba a maioria das relações de hoje em dia. Bem vindo ao clube, ao meu passado, a lista dos ex-namorados, ao mural imaginário dos que não souberam se deixar ser feliz. Eu não podia mesmo carregar essa responsabilidade, de te acordar pro amor, de te fazer sentir, se doar, querer, desejar. Era muito pra mim. Eu já carregava o peso de ter de ser feliz sozinha, de ter de me cuidar pra não sofrer de novo, de viver tudo na superfície, mas sou profunda demais pra você que tem um mundo tão pequeno. Caímos e demos com a cara no chão. Seu mundo não é pra mim, meu mundo é muito além. O mundo do amor sem limites. Conhece?


Luana Gabriela
18/05/2011

6 marginálias:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  3. Cada relacionamento que se encerra é mais um amadurecimento que nós temos, nós digo não apenas quem termina e sim quem é deixada, as vezes pessoas não sabem o valor da essência nem da doação, e a melhor forma de demonstrarem algo é fugindo do que poderia ser, sem ser, suas palavras foram fantásticas sai de um namoro de quase dois anos, e eu terminei pelos mesmos motivos e uma dor quase incompreensível aqueles que não se doam. Mais do que aqueles que se jogam e caem

    ResponderExcluir
  4. É que a gente insiste em coisas que sabe onde e como vão terminar.

    Insiste em tentar salvar pessoas que não querem [e talvez não precisem] ser salvas.

    Insistimos.. neles.
    Insistimos em nós.
    Até que os laços viram nós e o nós... bem talvez ele nunca tenha existido.
    Tenha sido sempre 'eu' e 'você' assim.. separados mesmo.

    Gosto muito de te ler!

    Saudade tua Lua, quando eu descobrir onde me encaixo nesse mundo virtual, volto! Até lá te leio =)

    ResponderExcluir
  5. Concordo muito com a ju e a minha xará. A gente insite em pessoas que não entendem o sentido de amor doador. é sempre assim. pessoas pequenas demais, pra entender o verdaeiro sentido de amar.
    bjoo

    ResponderExcluir
  6. Muito bom texto. Carregado de emoção, de sentimento, consegue trazer para nós, leitores, a real sensação do que se passava. E isso é o que os grandes escritores fazem, ou seja, conseguem tornar real na vida das pessoas as palavras frias impressas no livro.

    Parabéns pelo blog e espero que sua vida esteja bem do jeito que estiver hoje em dia.

    ResponderExcluir

Faltou açúcar? Quer um verso de creme?

<< >>