“Que medo alegre o de te esperar”. Clarice Lispector

Era uma garota sozinha. Uma garota com olhos fundos, castanhos, pele branquinha, cabelo cada mês de uma cor. Era um garoto sozinho. Ainda não se via a cor dos olhos nem da pele. Pode ser parecida com a dela, pode ser que não. Algo que cresce devagar, que nasce pra mudar uma vida, é uma nova vida a dois. Era um sonho que se realizava. Era o amor materializado. Era tudo de que precisava, alguém que precisasse dela.

Ela canta pra ele, músicas tão calmas quanto o lento piscar dos olhinhos dele. Lá dentro. Às vezes as músicas não têm letras, às vezes tem uma frase só: Eu te amo. Dizem que pode ouvir, embora pareça longe, estando tão perto. Vezenquando ele manda um recado, cutuca, faz ela sofrer um pouquinho, mas ela já aprendeu não existe mesmo amor sem dor. Era seu pequeno lar. Era ali que ela passaria a morar eternamente, e enquanto ele crescer, porque amor se alimentado só cresce, e ele era o amor em carne viva, ela diminuiria um pouco mais. Não há espaço para “eu” depois que ele passa a existir. O amor respira. O amor chora. O amor sangra. O amor tem vida e pode morrer. O amor é ele. Aquele pequeno pedaço de céu que é seu e de ninguém mais.

Ela sussurra algumas palavras de madrugada, como “te esperei tanto”, e acredita que ele possa ouvir, mesmo se estiver dormindo. Ele é lindo, mesmo quietinho. Apesar de ainda pequeno, a preenche tanto que não há mais vazios. O amor ocupou tudo. Ela transborda de amor. Anda por aí, sorrindo, o dia cinza e ela sorri. A chuva cai e ela sorri. "Vamos passar por tudo juntos, “estarei sempre aqui”, porque amor mesmo que longe, a gente ainda pode sentir. Passaremos noites acordados, dormiremos de dia, sonharemos nuvens de algodão, pelúcias de travesseiro, passearemos pelos parques, brincaremos nas balanças como os casais de filmes, dormiremos no sofá durante os filmes, acordaremos já cantando. E mesmo quando a gente brigar, ainda vai ser por amor. Jamais seremos sozinhos, eternamente teremos um ao outro. Eu já te amo tanto que tenho medo de você não chegar", adormeceu sonhando.


Luana Gabriela
17/12/2010

8 marginálias:

  1. Mas que texto lindo! Já tiveste um filho? haha Tenho que acreditar que já passaste por essa experiência.
    Adorei!

    =*

    ResponderExcluir
  2. Um encanto.
    Gostei tanto.
    beijo de luar

    ResponderExcluir
  3. Lindo lindo *--*
    sem nem muito o que comentar

    ResponderExcluir
  4. Clarice Lispector sempre despertando os suspiros dos leitores ! ;D

    ResponderExcluir

Faltou açúcar? Quer um verso de creme?

<< >>